A curadoria e a mediação dos principais temas e debates do ciclo Renascença passaram a ser feitas por intelectuais espalhados pelo Brasil e no exterior. Cabeças com distintas origens, formações e perspectivas, a maior parte de grupos sociais historicamente ausentes da formulação e da execução da política externa. Trata-se de mudança de paradigma importante: agora não falamos apenas do Instituto, ou de servidores do Itamaraty, mas de um arco bem mais representativo. Confira abaixo mais informações sobre os responsáveis por nossas curadorias.

Alessandra Beber

Clique para acessar minibio e debates realizados

Alessandra Beber

Doutoranda em Relações Internacionais pelo Instituto de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (IRI-USP). Mestre em Relações Internacionais pelo Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PPGRI-UERJ). Possui graduação em Relações Internacionais pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP), campus de Franca. Desenvolve pesquisa na área de Estudos de Política Externa, mais especificamente História da Política Externa Brasileira, estudando a atuação do Ministério das Relações Exteriores durante o período da Ditadura Militar (1964-1985), em especial sua relação com a comunidade de informações e outros instrumentos de repressão política. Os trabalhos já desenvolvidos concentram-se nas áreas de política externa, segurança, direitos humanos, cultura de paz, cultura e relações internacionais, teoria feminista e relações internacionais.

Amanda Harumy

Possui graduação em Relações Internacionais pela Universidade Federal de São Paulo (2015). Mestre em Integração da América Latina. (PROLAM-USP) Doutoranda em Integração da América Latina (PROLAM-USP). Professora de Política Latino-americana da Fundação Santo André. Colunista mensal do Opera Mundi sobre o tema Colômbia. Tem experiência na área de Ciência Política, com ênfase em Relações Internacionais, Bilaterais e Multilaterais, atuando principalmente nos seguintes temas: América Latina, Colômbia, movimentos sociais e democracia.

Ananda Vilela da Silva Oliveira

Doutoranda em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), na linha de pesquisa de Arquitetura do Sistema Internacional, financiada pela CCPG/PUC-Rio. Concluiu Mestrando em Relações Internacionais pela mesma instituição. Bacharel em Relações Internacionais e Integração pela Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), foi bolsista PIBIC-UNILA no projeto de iniciação científica "Pensando a Produção Teórica em Relações Internacionais no Brasil: Uma Análise das Revistas RBPI e Contexto Internacional". Foi monitora bolsista na disciplina "Teoria das Relações Internacionais I. Atuou como bolsista no projeto de extensão ?Ciclo de Debates sobre Economia, Política e Sociedade Latino-Americana Contemporânea?. Áreas de interesse: relações internacionais; estudos decoloniais; relações de raça, gênero e classe; teoria das Relações Internacionais; descolonização da produção de conhecimento; raça e racismo

 

Anselmo Otávio

Professor de Relações Internacionais da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), Doutor e Mestre em Estudos Estratégicos Internacionais na Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - PPGEEI/FCE/UFRGS, e Graduado em Relações Internacionais pela Faculdade de Filosofia e Ciências da Universidade Estadual Paulista - FFC/UNESP campus de Marília. Pesquisador associado do Centro Brasileiro de Estudos Africanos (CEBRAFRICA) e do Núcleo Brasileiro de Estratégia e Relações Internacionais (NERINT). Áreas de interesse: História das Relações Internacionais, Política Internacional, Política Externa da África do Sul, e Renascimento Africano.

Blenda Santos

Debates: 

Diplomacia Digital - Novos Rumos para a Diplomacia Pública

Pesquisadora do InternetLab. Mestranda em Relações Internacionais pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Graduada em Direito pela Universidade Católica do Salvador (UCSal). Coordenadora da Rede Brasileira de Saberes Decoloniais (RBSD). Foi pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Direitos Humanos, Direito à Saúde e Família vinculado ao CNPq e à UCSal (2016-2018), e do Grupo de Pesquisa em Criminalidade na América Latina, vinculado à UCSal (2017). Atua a mais de 7 anos em organizações internacionais na promoção de direitos humanos e políticas públicas.

Bruna Pereira

Doutora em Sociologia pela UnB (2019), com doutorado-sanduíche com bolsa CAPES/Fulbright na Universidade da Califórnia, Berkeley. Mestre em Sociologia pela UnB (2013). Graduada em Relações Internacionais pela UNESP (2005). Experiência nas áreas Sociologia e de Ciência Política (ênfase em Política Internacional), com interesse pelos seguintes temas: relações raciais, relações de gênero, violência contra mulheres, sexualidade, afetividade, cuidado, trabalho não remunerado, políticas públicas, política externa brasileira, cooperação internacional, exploração sexual e pobreza. Coordenadora do Grupo de Estudos Mulheres Negras/UnB.

Bruna Soares de Aguiar

Debates: 

Nomear chanceler mulher feminista

Política Migratória como Política Externa Brasileira

Doutoranda em Ciência Política (IESP/UERJ), Mestra em Sociologia (IESP/UERJ) e Bacharela em Ciência Política pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Atua como pesquisadora no Grupo de Relações Internacionais e Sul Global (GRISUL) da Escola de Ciência Política da UNIRIO e no Laboratório de Análise de Política Mundial (LABMUNDO- Antena Rio) ligado ao IESP/UERJ. Foi Editora Executiva do Boletim Conjuntura da Plataforma de Pesquisa Latitude Sul (2017) e compõe corpo editorial da referida publicação. Desenvolve pesquisas na agenda de gênero com enfoque em migrações, política externa e cooperação internacional para o desenvolvimento.

Camila Santos Andrade

Doutoranda em Ciência Política pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Mestre em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Especialista em Gerenciamento de Projetos pelo Senac Santa Catarina e Analista de Relações Internacionais pela UNIJORGE - BAHIA. Desenvolve pesquisa sobre o processo de reconstrução do Estado de Ruanda pós-conflito, cooperação internacional descentralizada africana/em Ruanda e temas gerais sobre Ruanda e África.

Carolina Salgado

Assistant Professor of International Relations at the Catholic University of Rio de Janeiro (PUC) in Brazil. She has a PhD in International Relations from PUC-Rio, and has spent four years conducting her doctoral research in Germany. In 2018, she was an associate researcher at the German Institute for Global and Area Studies (GIGA) in Hamburg. In 2019, she developed postdoctoral research, working at the interface between public and international policies, with an emphasis on international cooperation (funding agency: CNPq). She has extensive experience in research and documentation in the fields of Contemporary History and Foreign Policy Analysis. She has also practical experience in international organizations, including fellowships at the Delegation of Brazil to the United Nations in Geneva, and at the EU-LAC Foundation in Hamburg. Current research areas include foreign policy analysis and international cooperation; international politics of the European Union; EU-Latin American relations; democracy and extremism in Europe and Latin America.

Cibelle Dória da Cunha

Mestre em Serviço Social, Trabalho e Questão Social pela Universidade Estadual do Ceará - UECE, Pós-graduada em Serviço Social, Políticas Públicas e Direitos Sociais pela Universidade Estadual do Ceará ? UECE e Bacharel em Serviço Social pelo Centro Universitário UNA de Belo Horizonte / MG. Atualmente é Assistente social Agente de Fiscal do Conselho Regional de Serviço Social 8 Região - Distrito Federal. Atuou, em duas ocasiões no Programa de Proteção à Criança e Adolescente ameaçados de Morte - PPCAAM, tanto do Distrito Federal como no Núcleo Técnico Federal. Atuou como perita social em Varas Federais da Seção Judiciária no Estado do Ceará e como coordenadora de projetos sociais no Observatório da Criança e do Adolescente, Instituto Oca, além de ter sido Assistente social na Defensoria Pública e na Secretaria da Justiça e Cidadania, ambas no Estado do Ceará, nas quais atuou no desenvolvimento e implementação de metodologias de atendimento às vítimas de violência urbana e à familiares de vítimas de homicídio. Foi consultora sênior na Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República - SDH/PR além de ter desenvolvido trabalhos no Ministério de Desenvolvimento Social - MDS. É pesquisadora dos assuntos relacionados ao Estado penal, à Justiça, ao Sistema Penal, Prisão e encarceramento em massa.

Cristiane Gomes Julião

Indígena do povo Pankararu, Terra Indígena Pankararu que fica entre os municípios de Tacaratu, Petrolândia e Jatobá, Sertão de Itaparica, Pernambuco. Graduada em Licenciatura Plena em Geografia pelo Centro de Ensino Superior do Vale do São Francisco (2007), município de Belém do São Francisco/PE. Mestre em Antropologia Social pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Dissertação defendida e aprovada em 19 de fevereiro de 2018. Doutoranda em Antropologia Social pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Ingresso em março/2018. Representante indígena pelo Conselho Nacional de Política Indigenista (CNPI) no Conselho de Gestão do Patrimônio Genético, Ministério do Meio Ambiente (CGen/MMA), a partir de 11 de janeiro de 2017.

Daiane Ribeiro

Possui mestrado em Agronegócio pela Universidade Federal de Goiás - UFG, com pesquisa voltada para a área de competitividade de empresas em exportações. É graduada em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás e em Administração pela Estácio. Foi professora de pós-graduação na USJT na área de comércio exterior e também instrutora de educação profissional pelo SENAC - GO na área de Logística, Custos e Comércio Exterior. No momento atua como docente de pós graduação na FMU na área de gestão, presencial e EAD e é Diretora de Políticas Públicas, Diversidade e Inclusão na EDUCAFRO. No campo profissional, também desenvolveu ações como agente de comércio exterior junto à Secretaria de Comércio Exterior do Estado de Goiás no âmbito do programa Primeira Exportação do Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior e atuou como assistente de comércio exterior. Além da pesquisa atual, que inclui Operações focada nos relacionamento entre as empresas para a elaboração de serviços, também possui publicações e experiência e em importação e exportação, modais de transporte, gestão, custos, supply chain e logística.

 

Danilo Sorato Oliveira Moreira

Gestor em serviços de Inteligência e Inovação na empresa Xibé - Inovação em alimentos!, Professor de História para os segmentos de Ensino Fundamental I, Ensino Fundamental II e Ensino Médio. Graduado em História pela Universidade Federal do Pará (UFPA). Graduado em Relações Internacionais pela Universidade Federal do Amapá (UNIFAP). Mestre em História pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino de História pela Universidade Federal do Amapá (MH/UNIFAP), coordenado nacionalmente pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atua como membro-pesquisador do Laboratório Virtual de Ensino de História (LVEH) e pesquisador do Laboratório de Relações Internacionais e Geopolítica (LABRIGEO). Desenvolve estudos e pesquisas em Política Externa Brasileira, Defesa, História Contemporânea e Ensino de História.

Desiree Almeida Pires

Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais San Tiago Dantas (Unesp, Unicamp, PUC-SP). Mestre em Relações Internacionais pela Universidade Federal de Santa Catarina (2017). Bacharela em Economia pela FACAMP (2015). Bacharela em Relações Internacionais pela FACAMP (2014).

Elze Camila Ferreira Rodrigues

Professora da graduação em Relações Internacionais da Universidade Anhembi Morumbi. Doutoranda em Relações Internacionais pela Universidade de São Paulo. Mestra (2016) em Relações Internacionais pelo PPGRI San Tiago Dantas (Unesp-Unicamp-PUCSP), com bolsa CNPq. Possui graduação em Relações Internacionais pela Universidade Estadual da Paraíba (2012). Foi bolsista de iniciação científica também pelo CNPq no projeto de pesquisa "A emergência do Brasil na Segurança Internacional do século XXI: implicações, interpretações e análises dimensionais à luz da Escola de Copenhague". Atua nas áreas de Ciência Política e de Relações Internacionais, com ênfase em Política Externa Brasileira e em Relações Multilaterais.

Ester Borges

Bacharela em Relações Internacionais pelo Instituto de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (IRI/USP). Foi bolsista FAPESP entre os anos de 2016 e 2018, primeiramente auxiliando o grupo de pesquisa ""Brasil, as Américas e o Mundo"" do Centro Brasileiro de Analise e Planejamento (CEBRAP) e posteriormente em uma iniciação cientifica com o título ""Relação Brasil-Venezuela, sob a ótica da Opinião pública"". Trabalhou, entre os anos de 2018 e 2019, na ONG Artigo 19 Brasil, na área de acesso à informação, onde atuou no desenvolvimento de publicações e relatórios que consideram o direito à informações públicas como essencial para manutenção dos demais direitos fundamentais. Atualmente, é pesquisadora de direitos digitais e políticas de internet no InternetLab, centro independente de pesquisa em direito e tecnologia.

Felipe Bernardo Estre

Possui graduação em Relações Internacionais pela Universidade de São Paulo (2008) e mestrado em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2011). Atualmente é doutorando em Relações Internacionais pela USP.

Felipe Calabrez

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Londrina (2010), mestrado em Ciência Política pela Universidade Federal do Paraná (2013) e doutorado em Administração Pública e Governo pela Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP). Professor do curso de Relações Internacionais do Centro Universitário Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), tem experiência na área de Ciência Política, com ênfase em Teoria Política, Estado e Política Econômica.

Felipe Sotto Maior Cruz

Pesquisador indígena do povo Tuxá de Rodelas/Bahia. É desde 2018 professor na Universidade do Estado da Bahia (UNEB) Campus VIII no curso de Licenciatura Intercultural em Educação Escolar Indígena (LICEEI). Atuou como professor convidado pelo Centro de Estudos Avançados Multidisciplinares/NEAB/UnB na disciplina "Cultura, Poder e Relações Raciais" em 2017 e 2018. Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Minas Gerais- UFMG (2014), mestrado em Antropologia Social pela Universidade de Brasília- UnB (2017) instituição na qual atualmente cursa o doutorado na mesma área. Tem desenvolvido estudos sobre Etnologia Indígena e Indigenismo enfatizando a dimensão das relações interétnicas, etnicidade, educação indígena, direito a diferença, relações raciais e direitos indígenas. No mestrado, defendeu dissertação acerca dos desdobramentos de Mega Empreedimentos em terras indígenas focalizando a experiência do Povo Tuxá com a construção da Hidrelétrica de Itaparica ao fim da década de 1980. Atualmente tem desenvolvido pesquisas sobre as experiências de racismo contra povos indígenas, genocídio indígena, violações de direitos indígenas no Nordeste do país e inserção de estudantes indígenas no Ensino Superior. É membro e assessor da Associação dos Acadêmicos Indígenas da Universidade de Brasília (AAIUnB); Sócio da Associação Brasileira de Antropologia (ABA); Membro integrante da Comissão de Ações Afirmativas do PPGAS/DAN UnB. Pesquisador do OPARÁ - Etnicidades, Movimentos Sociais e Educação.

Frederico Rios Cury Dos Santos

Doutor em Linguística do Texto e do Discurso (UFMG), mestre em Relações Internacionais (PUC Minas), especialista em Estudos Diplomáticos (CEDIN), bacharel em Direito (UFMG) e em Filosofia (UFMG). Doutorando em Relações Internacionais (USP, com bolsa Capes) e licenciando em Letras (UCB). Já realizou estágios de pesquisa na Sorbonne (com bolsa Capes) e na Sciences Po Paris. Desempenhou trabalhos humanitários junto ao Programa Polos de Cidadania, da UFMG, com bolsa da Fundação Guimarães Rosa. É membro da Sociedade Brasileira de Retórica, da Associação Latino-Americana de Retórica, da Associação Latino-Americana de Estudos do Discurso, da Associação Brasileira de Relações Internacionais, da Associação de Pesquisadores Brasileiros na França e da Associação Latino-Americana de Ciência Política. Atua como pesquisador no Grupo Retórica e Argumentação, da UFMG, no Núcleo de Análise do Discurso (NAD), da UFMG, e no Núcleo de Estudos em Análise Crítica do Discurso (NEAC), da USP, todos cadastrados no CNPq. Atualmente, debruça-se sobre discursos políticos e midiáticos, especialmente em temas ligados a identidade, retórica das guerras culturais e do choque de civilizações, através de textos verbais e/ou visuais. É autor do livro "Cinema, Discurso e Relações Internacionais: Perspectivas Teóricas e Princípios de Análise".

Gabriel Pietro Siracusa

Doutorando em Ciência Política pela Universidade de São Paulo. Mestre em Ciência Política pela Universidade de São Paulo. É formado em Relações Internacionais pela Universidade de São Paulo. Interesse em áreas diversas como: Economia Política Internacional, Teoria Política, Teoria das Relações Internacionais, Políticas Públicas, Filosofia.

Giovanna Ayres Arantes de Paiva

Debates: 

EUA e a política externa brasileira

Política externa brasileira e a busca pela paz

Mestre e Doutora em Relações Internacionais pelo Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais San Tiago Dantas (UNESP, UNICAMP, PUC-SP). Realizou doutorado sanduíche no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra com bolsa CAPES. Bacharel em Relações Internacionais pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Unesp). Membro do Grupo de Estudos de Defesa e Segurança Internacional (GEDES). Pesquisa a área de Paz, Defesa e Segurança Internacional, com ênfase no emprego de crianças-soldado.

Graciela Guarani

Graciela Guarani, é uma das cineastas indígenas pioneiras em produções independentes no cenário do cinema Brasileiro. Comunicadora social, cineasta, fotógrafa, designer e Oficineira de audiovisual. Pertencente à grande Nação Guarani e Kaiowá de MS. Diretora, roteirista e cinegrafista em 4 curtas, sendo eles “Terra Nua”, “Mãos de Barros”, exibidos nos festivais Curta Taquary 2017 e Festival de filmes Etnográficos do Ceará 2017.

Igor Gomes Santos

Possui graduação em Licenciatura em História pela Universidade Estadual de Feira de Santana (2005). Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil, atuando principalmente nos seguintes temas: partidos políticos de esquerda no Brasil, movimentos sociais, sindicalismo e movimento operário recente, além de estudar e pesquisar sobre os grupos sociais subalternos, o banditismo, o crime e as formas de violência no século XIX. É professor do IFBA (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia). É mestre (2007) e doutor (2017) pela Universidade Federal Fluminense.

 

Inara do Nascimento Tavares

Debates: 

A Amazônia é mulher! Como estamos cuidando de nossas mulheres?

Cientista Social pela Universidade Federal do Amazonas (2010), Mestre em Antropologia Social pela Universidade Federal do Amazonas (2012). Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Etnologia Indígena, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde indígena, segurança alimentar e nutricional/soberania alimentar e povos indígenas, movimento indígena e políticas públicas indigenistas. Compõe o Grupo de Trabalho - GT Saúde Indígena da Associação Brasileira de Saúde Coletiva - ABRASCO. É docente no curso de Gestão em Saúde Coletiva Indígena no Instituto Insikiran de Formação Superior Indígena - Universidade Federal de Roraima. Atualmente é doutoranda do Programa de Pós - Graduação em Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade - CPDA/ UFRRJ.

Ingrid Nascimento de Aguiar Schlindwein

Doutoranda em Relações Internacionais na Universidade de São Paulo. Mestre em Direitos Humanos pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, com estágio na Organização das Nações Unidas, em Nova York. Jornalista profissional, atuando no governo local e iniciativa privada desde 2006. Textos publicados em periódicos de destaque na imprensa brasileira, como o Jornal Folha de São Paulo e o Portal Exame. Foi bolsista do programa de bolsa-prêmio do CNPq/Itamaraty de vocação para a diplomacia e, desde então, estuda disciplinas relacionadas com o concurso de admissão à carreira diplomática, como história do Brasil, história contemporânea, direito internacional, direito constitucional, economia, política, geografia, português, inglês e francês. Possui graduação em Comunicação Social pela Universidade Federal de Minas Gerais (2005), com um semestre de intercâmbio acadêmico na University of Nottingham, no Reino Unido.

 

Isabel Thaís Eirado Martins

Mestranda em Ciência Política na Universidade de Brasília e bacharel em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília. Estuda representatividade e políticas culturais, com foco nas políticas para o patrimônio.

Ivonilze Ferreira Adelin Mertens

Possui graduação em COMUNICAÇÃO SOCIAL pela Universidade Salvador(1994) e especialização em Gestão Pública - Governança e Políticas Públicas pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília(2019). Mestranda em Relações Internacionais, Pesquisa com foco na Cooperação Internacional para o Desenvolvimento e Direitos Humanos (UFBA).

Jacqueline Moraes Teixeira

Doutora em Antropologia Social na Universidade de São Paulo (USP) onde também obteve o título de mestre. Possui graduação em Ciências Sociais (USP/2008) e graduação em Teologia (Universidade Presbiteriana Mackenzie/2012). É pesquisadora do Cebrap (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento) realizando pesquisas na área de gênero, sexualidade e religião e do NAU (Laboratório do Núcleo de Antropologia Urbana da USP) onde desenvolve pesquisas sobre religiosidade em contextos urbanos, e Suas principais áreas de atuação e pesquisa são Antropologia Urbana, Antropologia da Religião e Marcadores Sociais da Diferença. Atualmente é professora substituta no Departamento de Filosofia da Educação e Ciências da Educação da Faculdade de Educação da USP (FE-USP) e realiza estágio de Pós Doutorado no PPGAS/USP.

João Raphael

Bacharel e mestre em Relações Internacionais. Atualmente é doutorando em Serviço Social & Política Social pela Ulster University (Reino Unido). Ph.D. Researcher & Teaching Assistant na Ulster University, Mestre em Relações Internacionais pela Central European University - Violência Política/Terrorismo.

Julie Lund

Assistente de pesquisa e desenvolvimento de capacidades, OIT (Genebra — jun 2018 - set 2018); capacitação acadêmica, missão permanente do brasil junto à ONU (Genebra — set 2017 - dez 2017); assistente de pesquisa, UNDP Early Recovery Cluster (Genebra — abr 2017 - dez 2017); consultoria, United Nations Office For South-South Cooperation (Nova Iorque, NY — fev 2016 - jul 2016); estágio, Save The Children (Nova Iorque, NY — ago 2015 - nov 2015); assessoria, missão permanente do brasil junto à ONU (Delbrasonu) (Nova Iorque, NY — fev 2015 - jul 2015); voluntariado, Youth Futures International (Dominase, Gana — jul 2014); estágio, Amcham Brasil (são paulo, brazil — ago 2012 - jul 2013); mestrado, estudos de desenvolvimento - Graduate Institute Of International And Development Studies - Genebra, 2018, foco em desenvolvimento social e humano; bacharelado, relações internacionais - Pontifícia Universidade Católica - São Paulo, 2014.

Júlio Lisboa

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos e Cidadania (PPGDH), no Centro de Estudos Avançados Multidisciplinar da Universidade de Brasília. Possui graduação em Serviço Social pela Universidade de Brasília (2014). Tem experiência na área de Serviço Social, com ênfase em Serviço Social. Assumiu, recentemente, a presidência da associação Nosso Coletivo Negro (NCN/UnB), do qual ocupa o cargo de Conselheiro Titular no Conselho de Defesa dos Direitos do Negro (CDDN) pelo governo do Distrito Federal (GDF). Coordena e monitora as ações do grupo AquilombandoDFE, voltados para temática étnico-racial. Pesquisa e tem interesse nos em estudos sobre avaliação de políticas públicas nas seguintes áreas: população em situação de rua, políticas de igualdade racial, políticas educacionais, programas de transferência de renda, desigualdade, pobreza e direitos humanos.

Karine Silva

Professora dos Programas de Pós-graduação stricto sensu em Relações Internacionais e em Direito da Universidade Federal de Santa Catarina. Pesquisadora Produtividade em Pesquisa PQ CNPq. É titular da Cátedra Jean Monnet - outorgada oficialmente pela União Europeia - e da Cátedra Sérgio Vieira de Mello da Agência das Nações Unidas para Refugiados. É vice-coordenadora do Curso de Graduação em Relações Internacionais. Realizou Estágio pós-doutoral na Katholieke Universiteit Leuven e Estágio Sênior na Université Libre de Bruxelles, Bélgica. Doutora e Mestre em Direito (com concentração em Relações Internacionais) pela Universidade Federal de Santa Catarina; Fez Estágio Doutoral na Universidad de Sevilla /Espanha. Fez Pós-graduação lato sensu na Universidad Internacional de Andalucía, Espanha. Realizou visita-estágio no Tribunal de Justiça da União Européia, em Luxemburgo e no Parlamento Europeu, em Bruxelas. Professora visitante da Universidade Técnica de Moçambique, da Universidade do Minho, em Portugal, da Universidade de Pisa, na Itália, da Université Libre de Bruxelles, na Bélgica, e da Universidad de Valladolid, Espanha. Consultora ad hoc do CNPq, da CAPES, da FAPESC, do MEC e da União Europeia. Participou como observadora da Missão das Nações Unidas para estabilização do Haiti (MINUSTAH). É coordenadora do "EIRENÈ - Centro de Pesquisas e práticas Decoloniais e Pós-coloniais aplicadas às Relações Internacionais e ao Direito Internacional", do Núcleo de Estudos Críticos de Raça e Interseccionalidades nas Relações Internacionais e no Direito Internacional (NEGRIs), e do projeto de extensão "Apoio a Imigrantes e Refugiados" (NAIR/Eirenè/UFSC). Tem experiência na área de Epistemologias do Sul, estudos Pós-coloniais, Decoloniais e afro-diapóricos aplicadas ao Direito Internacional e às Relações Internacionais, com ênfase em: 1) Raça, branquitude e a descolonização do Direito Internacional e das Relações Internacionais; 2) Feminismos negros e as Interseccionalidades de raça e gênero no Direito Internacional e nas Relações Internacionais; 3) Diáspora africana, raça, migrações e refúgios; 4) Escravidão, Colonialismo, África e as Relações Internacionais; 5) Revolução Haitiana e Direitos Humanos; 6) A Missão das Nações Unidas para estabilização do Haiti (MINUSTAH);. Homepage: http://irene.ufsc.br/

Lucas Duarte Vitorino de Paula Xavier Guerra

Doutorando em Relações Internacionais pelo Instituto de Relações Internacionais da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (IRI/PUC-Rio). Mestre em Relações Internacionais pela mesma instituição. Bacharel em Relações Internacionais e Integração pela Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA). Atualmente, realiza pesquisa nas áreas de processos de paz e lutas indígenas na América Latina, com ênfase no caso colombiano. É membro da Iniciativa Debates Pós-Coloniais e Decoloniais (DPCD - IRID/UFRJ). Atuou como estagiário docência na disciplina de Estudos Pós-Coloniais na PUC-Rio.

Marcio Andre de Oliveira dos Santos

Debates: 

Do Black Lives Matter nos EUA ao ativismo negro no Brasil

É Doutor em Ciência Política pelo Instituto de Estudos Sociais e Políticos e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Possui Mestrado e Graduação em Ciências Sociais pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Pesquisa política comparada com tese sobre as relações político-institucionais entre movimentos negros e Estado no Brasil e na Colômbia. Fez estagio doutoral na Johns Hopkins University, em Baltimore, Estados Unidos, sob orientação do Prof. Dr. Michael Hanchard no período de janeiro a julho de 2009. Foi professor da graduação e do mestrado em Ciência Política na Universidade Federal do Piauí de 2013 a 2015. Atualmente é professor do quadro efetivo do Instituto de Humanidades e Letras da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira ? UNILAB, campus dos Malês em São Francisco do Conde, Bahia. Foi coordenador do UNIAFRO - Política de Promoção da Igualdade Racial na Escola e subcoordenador do IFARADÁ - Núcleo de Pesquisa Sobre Africanidades e Afrodescendência, ambos na UFPI. Tem experiência nas áreas de Ciência Política e Sociologia Política, com ênfase nos estudos dos movimentos sociais, movimentos negros comparados, relações raciais e teoria do reconhecimento.

 

Maria Alice Venancio Albuquerque

Maria Alice Venâncio Albuquerque é Doutoranda em Relações Internacionais pela PUC-Rio (IRI/PUC-RJ), mestre em Ciência Política pela Universidade Federal de Pernambuco e graduada em Relações Internacionais pela Universidade Estadual da Paraíba. Atualmente membro da Rede de Estudos em Paz, Conflito e Estudos Críticos de Segurança. Foi membro do corpo editorial da Revista Diplomatize e atualmente é editora assistente da revista Cadernos de Relações Internacionais da PUC Rio e colaboradora no Blog da Rede de Estudos em Paz, Conflito e Estudos Críticos de Segurança. Pesquisa Justiça Transicional, Comissões da Verdade; Direitos Humanos; Regimes e Normas Internacionais.

 

Mariana Davi Ferreira

Atualmente, é doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Ciência Política da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) vinculada ao Centro de Estudos Marxistas (CEMARX) e ao Grupo de Pesquisa Política Externa e Classes Sociais (UFABC). Mestre em Relações Internacionais (UFSC). Bacharel em Relações Internacionais pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e bacharel em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Tem envolvimento com as seguintes temáticas: relações internacionais, pensamento social latino-americano, desenvolvimento, classes sociais, política externa e integração regional na América Latina. 

Martin Egon Maitino

Doutorando em Ciência Política pela Universidade de São Paulo. Possui graduação em Relações Internacionais pela Universidade de São Paulo (2016) e mestrado em Ciência Política pela mesma universidade. Entre 2013 e 2016 atuou no coletivo de extensão universitária Educar para o Mundo, vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (IRI-USP), trabalhando com educação popular em direitos humanos com imigrantes e refugiados na cidade de São Paulo. Tem experiência na área de Ciência Política, com ênfase em Política Internacional, atuando principalmente nos seguintes temas: análise de política externa, política externa brasileira, processo decisório, discurso político.

Maurício Kenyatta Barros da Costa

Graduado em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília (2013). Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais da UnB em 2017. Nessa mesma instituição, é membro do Grupo de Estudo e Pesquisa em Segurança Internacional (GEPSI-UnB).Tem experiência na área de Relações Internacionais, com ênfase em Teoria Política Moderna e Contemporânea, Teoria das Relações Internacionais, Segurança Internacional e Política Externa do Brasil, atuando principalmente nos seguintes temas: Operações de Paz, Projeção de Poder dos Estados Unidos e Segurança e Defesa das Fronteiras.

Martin Egon Maitino

Doutorando em Ciência Política pela Universidade de São Paulo. Possui graduação em Relações Internacionais pela Universidade de São Paulo (2016) e mestrado em Ciência Política pela mesma universidade. Entre 2013 e 2016 atuou no coletivo de extensão universitária Educar para o Mundo, vinculado ao Instituto de Relações Internacionais da Universidade de São Paulo (IRI-USP), trabalhando com educação popular em direitos humanos com imigrantes e refugiados na cidade de São Paulo. Tem experiência na área de Ciência Política, com ênfase em Política Internacional, atuando principalmente nos seguintes temas: análise de política externa, política externa brasileira, processo decisório, discurso político.

Maurício Kenyatta Barros da Costa

Graduado em Relações Internacionais pela Universidade de Brasília (2013). Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais da UnB em 2017. Nessa mesma instituição, é membro do Grupo de Estudo e Pesquisa em Segurança Internacional (GEPSI-UnB).Tem experiência na área de Relações Internacionais, com ênfase em Teoria Política Moderna e Contemporânea, Teoria das Relações Internacionais, Segurança Internacional e Política Externa do Brasil, atuando principalmente nos seguintes temas: Operações de Paz, Projeção de Poder dos Estados Unidos e Segurança e Defesa das Fronteiras.

Michele Diana da Luz

Estudante de Doutorado em Ciência Política no Instituto de Filosofia, Sociologia e Política da Universidade Federal de Pelotas (IFISP/UFPel) com período sanduíche junto ao Centre for Applied Philosophy, Politics and Ethics (CAPPE), da University of Brighton. Graduada em Ciências Sociais (2015) e Mestre em Ciência Política (2017) pela mesma Instituição. Membro do Grupo de Pesquisa "Ideologia e Análise de Discurso (IdAD/UFPel)" e do Projeto "Transnational Populism" (CAPPE/University of Brighton). Pesquisadora da teoria do discurso, redes sociais e comunicação política.

Priscilla Carvalho Corrêa Mendes

Debates: 

A integração sul-americana durante o governo Bolsonaro

Ascensão da extrema-direita internacional

Mestranda em Estudos Estratégicos da defesa e da segurança pelo Instituto de Estudos Estratégicos (INEST-UFF) e bacharel e licenciada em História pelo Instituto de Ciências Humanas e Filosofia (ICHF), atual Instituto de História, na mesma instituição. Possui Pós-Graduação Lato Sensu pelo Damásio Educacional (on-line) em Relações Internacionais. Editora-chefe da revista discente Hoplos, do Programa de Pós-Graduação em Estudos Estratégicos da defesa e da Segurança (INEST-UFF), sob e-ISSN: 2595-699X, até a conclusão do Mestrado Acadêmico. Atua há nove anos como professora de Historia e História da Arte, para Ensino Fundamental II e Ensino Médio, com ênfase em preparação para vestibular. Concursada como Docente nível C 16h pela Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro (SEEDUC-RJ). Linhas de interesse: América do Sul e Caribe; Estudos Estratégicos; Análise de Política Externa; Partidos Políticos; Política Externa Brasileira; Política de Defesa.

Rafael Almeida Ferreira Abrão

Bacharel em Relações Internacionais pela Universidade Federal de São Paulo (2015); Mestre em Ciências Sociais pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (2018); Doutorando em Economia Política Mundial pela Universidade Federal do ABC e Bolsista de Doutorado da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Tem experiência na área de Relações Internacionais e Economia Política, com ênfase em Desenvolvimento Econômico, atuando principalmente nos seguintes temas: desindustrialização e geopolítica da energia.

Ricardo Begosso

Mestrando (2018) em Direito Político e Econômico na Universidade Presbiteriana Mackenzie. Graduado em Direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2016). Integrante do Grupo de Pesquisa Estado e Direito no Pensamento Social Brasileiro do Programa de Pós-Graduação em Direito Político e Econômico da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

 

Tarcízio Silva

Tarcízio Silva realiza Doutorado em Ciências Humanas e Sociais no PCHS-UFABC e é Mestre em Comunicação e Cultura Contemporâneas pelo PPGCCC-UFBa. Realiza pesquisa sobre "Dados, Algoritmos e Racialização em Plataformas Digitais". Profissional especialista em monitoramento de mídias sociais e métodos de pesquisa digitais com anos de experiência, foi Co-fundador e Diretor de Pesquisa do Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados e cofundador e diretor da agência PaperCliQ. Curador e criador da Desvelar - Conhecimento Afrodiaspórico. Professor convidado de MBAs e especializações e pesquisador acadêmico com diversas publicações, incluindo a organização de livros como "Para Entender o Monitoramento de Mídias Sociais" (Bookess, 2012), "Monitoramento e Pesquisa em Mídias Sociais: metodologias, aplicações e inovações" (Uva Limão, 2016), "Estudando Cultura e Comunicação com Mídias Sociais" (Editora IBPAD, 2018) e "Comunidades, Algoritmos e Ativismos Digitais: olhares afrodiaspóricos" (LiteraRUA, 2020).