Ativismos negro e indígena e a política externa brasileira | Programa Renascença

Como podemos garantir a participação de grupo historicamente marginalizados nos debates da política externa brasileira? É o que tentam responder Irene Vida Gala (Diplomata), Sibelle de Jesus Ferreira (IPPDH) e Hamangaí Pataxó Hã-Hã-Hãe (líder indígena, UFRB). O debate tem a curadoria e mediação de Bruna Pereira (Coordenadora do Grupo de Estudos Mulheres Negras/UnB).



BIBLIOGRAFIA SUGERIDA:

APIB. Cumplicidade na destruição: como os consumidores e financiadores do Norte permitem o ataque do governo Bolsonaro à Amazônia brasileira. http://apib.info/files/2019/05/Cumpli...


GALA, Irene Vida. A política externa do governo Lula para a África: a política externa como instrumento de ação afirmativa ... Ainda que não só. Tese - Instituto Rio Branco (IRBr), Curso de Altos Estudos (CAE), 2077. Disponível em: https://estudosetnicosraciaisufabc.fi...


MOREIRA, Felipe. Regime Internacional dos Povos Indígenas: referências teórico-descritivas. InterAção, v. 9, n.1, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/interacao/...


RIBEIRO, Matilde. Brasil e África: desafios das políticas de igualdade racial em âmbito nacional e internacional. Diálogos Africanos, n. 1, jul./set. de 2015. Disponível em: https://issuu.com/institutolula/docs/...


TROITINHO, Bruna Ribeiro; SILVA, Igor Castellano. A política externa afirmativa do Brasil: Movimento Negro, Estado e política externa africana em Geisel e Lula. Monções: Revista de Relações Internacionais da UFGD, v.6. n.10, jul./dez. 2016. Disponível: https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/mon...


0 visualização0 comentário